terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

Receituário da poesia

No receituário literário da poesia
Não há finitudes , nem definições
Existem completudes, infinitudes
Que se aninham  incógnitos
 Na paixão pela palavra
 debruando vocábulos
Na geografia dos sentimentos
Fazendo um composê de arte
No ardil profundo da sensibilidade

A palavra é a vertigem
 Na beira do abismo
É necessário devassá-la
  Percorrer seus labirintos
Porque a palavra é inexata
 assim como as paixões

É preciso submeter
O significado da pronúncia
Nos meandros da sutileza
 por onde verseja a poesia
E fazer a leitura em braile
 Num corpo sedento de emoções
(Gracita)