domingo, 25 de junho de 2017

Botando a cabeça para funcionar nº 16

Dia de desenferrujar os neurônios
e fazer a leitura da bela imagem 
que a Chica nos oferece
em seu blog...
O desgaste da bela propriedade
 É percebido logo na entrada.
 O portão com marcas de ferrugem
Denota o ar de abandono e desolação.
 O mato cresce desordenado
 O que indica que naquela bela construção
Já não há nenhum ser vivente.

 Que segredos estão guardados
No interior daquele belo solar
Quantos sonhos ali foram sonhados
E quiçá tenham sido realizados
Um ar de mistério envolve a construção

As intempéries da natureza açoitam
Sem dó e sem piedade o que antes foi um lar
Sonhos, vivências e emoções são as ruínas
Guardadas a sete chaves por detrás daquele
Portão enferrujado protegidos pelo mato
Impedindo os nossos olhos decifrar dali os segredos
(Escrevinhado por Gracita)